Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Entrevista a Miguel Serrano

Quarta-feira, 24.09.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Azunizar às 01:00


9 comentários

De Tibiriçá a 25.09.2014 às 09:07

"Ouvi" dizer que os grandes monstros astrais, as egrégoras, quando aqueles que as criaram se vão para o outro mundo, ganham vida própria e são capazes de durar séculos e até milénios quando alimentadas de sangue e sofrimento humano. Será que é esse o caso do nazismo? ainda mais agora com o regresso do neonazismo no fim deste Kali Yuga?
Fada é sabido que existe uma egrégora que se alimenta das energias cridas pelo ser humano suas emoções e principalmente pelo sofrimento, pela dor etc. E o grande vampiro dessas emoções é o Jeová dos judeus, haja vista que com eles fizeram um pacto de sangue, aquele pacto circuncisão. E é por essas e por outras que os sacrifícios ocorrem de forma incessante, veja todas as guerras, todos homicídio e todas as desgraças atuais.
Outra coisa que o Nazismo tem interessantíssimo, é o facto de ter uma filosofia panteísta e portanto materialista e ao mesmo tempo, querer parar o tempo, o movimento, ou seja parar o Kali Yuga... é uma coisa que não faz muito sentido, porque o que queriam afinal os esotéricos de hiltler? Nada de matéria? apenas espírito? Então porquê a conquista do mundo? das fronteiras para impor uma raça de super homens? a tal raça ariana pura!...Iriam eles impô-la a todas as outras raças, tornando-as escravas?
O panteismo na verdade era o paganismo, isso é, era um retorno na busca dos ancestrais da origem humana antes da queda, (quando o ser humano era regido pela intuição, pela verdade, pelo conhecimento direto) do paraíso perdido, do lar ancestral.
A conquista do mundo era para acelerar o Kali Yuga. Quanto ao super-homens era o que justamente hoje em dia buscamos, deixar de ser infra-homens (escravos) e nos tornar HOMENS nesse caso não é preciso ser super.O arianismo não é necessariamente uma RAÇA mas, uma questão de caráter que está no “sangue” é um código de ética, é uma razão de vida, é honra e lealdade.
Mais escravos do que somos nessa época? Nem Hitler conseguiria, tanto é que não conseguiu, pois os escravos prefeririam a liberdade sionista.
Foi para fazer a hipnose colectiva que degenerou hoje nesse controlo psicotrónico, de que se queixa Serrano? Esses gnósticos hiperbóreos tão defensores das liberdades do Espírito... e da perspectiva tão negra da Feminilidade...
Os conhecimentos científicos desenvolvidos pelo III Reich simplesmente foram parar em outras mãos. Não penso que seja tão negra essa perspectiva sobre a Feminilidade, pelo contrário havia muita devoção ao aspecto feminino, pelos símbolos fálicos, pelo próprio tantra que representava a ascenção do ser humano (O Homem Total) através do sexo feminino.

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930